CLIPPING

O valor da pastorícia nos territórios de montanha, Florestas.pt

Apesar da importância da pastorícia que, em várias regiões de montanha, apoia a fixação e subsistência das populações e contribui para a redução do risco de incêndio, mantém-se uma reduzida valorização e participação dos pastores no planeamento das estratégias e iniciativas dirigidas à gestão do território.

Com cerca de 500 milhões de pastores em todo o mundo, a pastorícia é responsável por significativos contributos socioeconómicos e ambientais em mais de 100 países. Na Europa e de acordo com a Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), estima-se que existam cerca de 15 milhões de hectares consignados a sistemas agropastoris. Em Portugal, as pastagens permanentes (naturais e melhoradas) representam aproximadamente 1,92 milhões de hectares.

A importância da pastorícia em Portugal é, desde logo, relatada nos textos dos primeiros forais e reforçada por outros autores pela relevância económica, social, ambiental, histórica e cultural que representa para muitos territórios rurais. É sobretudo nos territórios de maior altitude, que a atividade pastoril tem maior tradição.

Ler artigo